terça-feira, 14 de outubro de 2008


Ghada Amer, And the Beast, 2004

“Regresso à terra de onde nunca devia ter partido, mas parti, regresso às raízes que nunca devia ter cortado, mas cortei, regresso à casa da qual saí em demanda de mim próprio mas à qual retorno porque o meu objectivo na vida, afinal, é apenas o que me tornar bom filho.”

Rui Zink in Revista Egoísta, Setembro 2008.

vendo bem, o quadro não tem nada a ver com o texto. mesmo nada. em comum só a linearidade longa do tempo em que os descobri. e gostei. só isso.

7 comentários:

orquídea disse...

Gostei do post. A concordância ou não entre o texto e a imagem, se calhar estará nos olhos de quem vê o conjunto, no que lhe vá consumindo os dias, na mente. Os meus olhos encontram...

Dantins disse...

Eu amei o quadro, como ficava bem no meu quarto :))

GRAFIS disse...

orquidera
consumindo ou alimentando... depende do ponto de vista e do ponto do encontro

dantis
ficava bem em qualquer lugar, desde que fosse lá por casa...

orquídea disse...

não é um bocado cedo ainda para falar-se de posições "kamasutrianas"? :))

Porém, alimento-me e consumo-me (como dizia uma professora de química que tive, "tem dias")

GRAFIS disse...

há que fazer pela vidinha... :)

mas quem é que aqui falou no kamasutra? Cedo?
ah sim, cedo. Ainda agora está a começar o dia, mas eu estou a acaba-lo, e a esta hora, e neste estado, já se fala de tudo que ninguém leva a mal. esta é uma casa onde ainda se pode expressar livremente o que se pensa.

até amanhã que se faz tarde.

Always disse...

Absolutamente fantástico o quadro que acompanha este post! Quero-o como prenda de Natal! :D

Um abraço grande

GRAFIS disse...

lol
...vou ver o que se pode arranjar :D

um abraço grande para as duas, que dá cada vez mais gosto ler :)
Bjs