terça-feira, 10 de junho de 2008

Caminhos paralelos ou perpendiculares.

Nenhum ramo
é seguro.
Frágeis
são as palavras.
Albano Martins

8 comentários:

serotonina disse...

Não têm que ser estritamente para paralelos ou perpendiculares. Basta que existam de forma independente e talvez, num momento ou noutro, possa ser paralelos e até concorrentes.
Mas é bastante importante manter saberem divergir ou aproximar na altura certa.
Bom dia

RV disse...

pois... já nem vou comentar!
mais nada a acrescentar do q pensava em partilhar, e sim, frágeis são as palavras!

GRAFIS disse...

serotonina
sim, talvez não tenham de ser assim tão lineares e algures se possam encontrar e depois separar, quiçá sobrepor... sejam que caminhos forem…

rv
então pq?
as palavras têm tanto de fragilidade como de vigor. depende da forma como as usamos. elas podem enfraquecer tudo em seu redor, assim como podem fortalecer... podem aproximar ou afastar… enfim…

Anônimo disse...

sim tens razão e eu pensei mais do q propriamente expliquei ali em cima;
considerei-as frágeis comparando a sua força ou poder com a nossa igualmente força ou capcidade de percorrer esses caminhos, embora nem sempre seja assim tão perceptível qt gostassemos, pelo menos no meu caso.
Se calhar fui um pouco subjectiva na minha opinião pq p mim as palavras fazem sentido para mim quando há caminhos q já percorri, caso contrário eu preciso mesmo de os percorrer tv por uma questão de individualidade, tv pq tenho percebido q há sabores q tenho de experimentar por mim própria;

desculpa se me estiquei no texto.

rv

GRAFIS disse...

:)
não esticaste em nada.
aliás, podes esticar-te à vontade, no chão, no sofá, podes ficar, ir ficando... como eu, como diz uma amiga minha, que eu sou perita em chegar e ir ficando. qd menos se espera, já faço parte da mobilia da casa. assim, podes faze-lo também que eu gosto mesmo é de pessoas que vão ficando :)

RV disse...

mt bonito o reparo da tua amiga bem como o da tua disponibilidade,

obrigada!

GRAFIS disse...

olha, na altura até foi constrangedor, pq deu um ar quem é meio vagabunda, intrusiva e por aí... mas imediatamente percebi que foi uma forma carinhosa de descrever como é que eu entrei na vida dela e de outras pessoas… sou como a mobilia: não incomodo nada, estou por ali, faço companhia, distraio, ajudo a fazer umas coisas, etc… :)

serotonina disse...

também gosto bastante de me refastelar no sofá! Sossegada, na simbiose com o que me rodeia e alheia a pensamentos muito elaborados.