domingo, 15 de fevereiro de 2009



Promessas é uma história de amor, hilariante, que termina com dois grandes finais felizes. Amor que resgata do destino fatídico da morte, como quem nos vai dizendo que a morte chega quando não se ama e a juventude eterna com o amor. Subterraneamente o retrato social e politico de uma Sérvia velha e corrupta, na qual se misturam valores de toda a espécie e uma certa nostalgia pelo passado transversal.
Mais uma obra fruto do todo-poderoso imaginário criativo, surrealista e alucinado de Kusturica, que do grosseiro e do feio inventa a beleza quase pura.
Muitos dirão que se trata de mais um filme Kusturica, cuja fórmula se repete filme após filme. É verdade. Nada que chegue ao Underground (para mim o melhor) ou ao O Tempo dos Ciganos. Mas há em todos eles, e este não é excepção, uma inesgotável fonte criativa e de energia, de rudeza que atrai pela surpreendente beleza, uma mensagem cultural, politica e social subterrânea, arremessada, e planos cada vez mais surpreendentes.
Mas o que mais encanta nesta história é a construção do amor, a construção da sedução e a ambiência naífe de um pequeno microcosmos onde os afectos acontecem no meio do caos, onde a paixão fervilha e caminha em apoteose surreal para um “happy end”.
Promessas, de Emir Kusturica, estreou directamente para DVD em Novembro de 2008 e é uma verdadeira delícia. A não perder!

Sinopse
Promisse Me This
Tsane vive com o avô e uma vaca, Cvetka, no topo de uma longínqua montanha. À excepção de uma vizinha professora, são os únicos habitantes da aldeia. Um dia, o avô de Tsane revela-lhe que está a morrer. Obriga Tsane a prometer ir à cidade e vender a vaca Cvetka num mercado. Com o dinheiro, deve comprar: um ícone religioso; algo que queira; e finalmente, deve encontrar uma esposa e trazê-la para casa. Na cidade, Tsane facilmente cumpre as duas primeiras promessas, mas como voltará a casa com uma esposa antes que o avô faleça? É então que conhece Jasna, que está atrasada para as aulas, para variar…

3 comentários:

rv disse...

boa! ainda n vi nem tinha ouvido falar, m deste senhor nada se perde e td se ganha.
o meu sem dúvida é o " Gato preto gat branco", embora qq argumento surrealista me transporte p um mundo onde não me importava de estar, pelo menos hibernava deste mundo q ultimamente só me desilude!
bjs
M afinal qd é q o povo vai pescar?
eu até já sei que saiu legislação nova qt à pesca lúdica,lol

GRAFIS disse...

o povo vai pescar qd quiser.
por exemplo: o que havia mais na praia ontem eram pescadores, de tal forma que aquilo parecia um feijoal plantado à beira do mar.
quanto à legislação estás mais bem informada que eu... :)

rv disse...

pronto, pelo menos encerra-se o assunto.