domingo, 20 de maio de 2007

Vácuo

Certas vezes gostava de saber todas as respostas, e por alguns momentos viver a saber a verdade absoluta, ter a certeza de tudo e saber qual o caminho certo.

Saber que segredos se escondem, saber que pensamentos mais ímpios se levantam dentro, perceber as encruzilhadas em que me deixam.

12 comentários:

carpe diem disse...

Percebo isso...
Uma boa semana :)...

GRAFIS disse...

para ti tb :)

LR disse...

Desejo insano: nunca saberemos todas as respostas, nem há verdade absoluta, ou caminho certo. Assim, almejar o impossível torna-o possível?
(de resto, o texto é lindo)

GRAFIS disse...

Talvez o torne um pouco mais possível, mais próximo, ou talvez esta seja apenas uma ilusão de proximidade e entendimento.

Teresa Durães disse...

se fosse apenas só certas vezes, como conseguirias viver no resto do tempo?

bom dia

GRAFIS disse...

Com a certeza de algo.
Pelo menos num momento poderia experiênciar, por uma vez, e ficaria a saber. O saber não se esquece. Permanece na memória e oxigena o peito.

Teresa Durães disse...

será que és capaz de dizer o mesmo em fase de angústia? ;)

GRAFIS disse...

E quem te disse a ti que o meu estado é de serenidade? :)

serotonina disse...

mas saber tudo, às vezes é mau. Deixa pouco espaço para o imprevisto que produz tanta emoção!

GRAFIS disse...

Talvez não. Há sempre lugar para o imprevisivel.

Teresa Durães disse...

ninguém mas entre a angústia e a serenidade há um arco-iris enorme.

e pensar no imprevisível não me parece que estás num estado dramático :)

mas penso que quem um dia soube as respostas e noutro dia se sente impotente (e recorda o tempo da facilidade) deve ser frustante. É só uma opinião :)

bom dia

GRAFIS disse...

Tens razão, um arco-íris do tamanho do mundo.
É irrelevante a dramaticidade que se transmite ou em que se está. Ou talvez queiras dizer que não me entrego muito ao lado emocional. É verdade. Sou muito racional e esse é o meu estado "à tona de água", a ponta do iceberg visível, o que não quer dizer que não sinta uma profunda tristeza ou angustia ou outras coisas mais e que o resto do iceberg não seja de uma imensidão incalculável.
Assim, quando digo que há lugar para a imprevisibilidade... de facto há. As variáveis são imensas.
Houve respostas que soube, mas as que não sei são diferentes.
Frustrante é esperarem que sejamos algo que não somos, e que vivamos a nossa vida em função do umbigo do outro. Frustrante é esta coisa que chamam de vida e que eu simplesmente chamo de prisão. Frustrante... tanta coisa que é frustrante... até o amor é frustrante.
Obrigada pela tua opinião, que será sempre considerada, concordando ou não com ela, mas a questão que fiz acima foi com um tom desafiador e com um sorriso carinhoso no rosto, como este :)