segunda-feira, 18 de fevereiro de 2008



Sherrie Levine, Black Newborn, 1994, Vidro, Casted and Sandblasted.


Passo pelos os dias como uma pedra, imóvel, informe. Uma pedra seca, sem brilho, longe da rebentação das ondas do mar.
Deixem-me estar, sedimentando-me, incrustando-me neste cimento que são os dias silenciosos de aragem fresca e sol de trovoada, de noites geladas e manhãs de orvalho frio e luminoso.
Gosto deste silêncio e do cantar do mar e do vento, da água correndo a pele das falésias, da neblina salgada que se põe ao fim do dia, do salitre que oxida o ferro.
E só gostava que a vida fosse assim, simples, e que corresse tão devagar como as primeiras horas da manhã.
Escuto-me. Sei-me perdida por aqui e todos os meus sentidos procuram. Eu caminho a um passo de mim, e por enquanto caminharei assim, até que um dia me acorde dentro.
Sem pressa de chegar.


2 comentários:

alice disse...

caminhos de luz, grafis :)

GRAFIS disse...

de facto :)