terça-feira, 18 de março de 2008

Alison Kinnaird, Contraflow


Quatro
perguntas, seguidas de um epílogo ao escultor José Rodrigues
1. Tens na
ponta do lápis uma chave
para abrir o poema.
Por onde é que ela o abre?

2. Se um besouro de asas
translúcidas entrasse
agora no poema
– tu deixavas?

3. Sabes
como se esculpe um poema
fechado a sete chaves?

4. E se uma pomba
roçasse o ângulo
raso do poema
– prendê-la-ias?
Tu que esculpes
com mãos de água o corpo
e a sombra dos dias.

Albano Martins

3 comentários:

RV disse...

extraordinário..., muito inteligente e táctil...

:)

serotonina disse...

também gostei muito. tão simples o uso da natureza de uma forma bela.

GRAFIS disse...

o poeta... :)