segunda-feira, 30 de março de 2009

Daniel Nicoletta


Quanto vale uma vida de conforto a fazer de conta?

E quanto vale um dia, cru, nu, a ser, verdadeiramente? E
mais um, atrás do outro?

Um comentário:

orquídea disse...

A 1ª há-de valer por certo algumas insónias e angústias. A 2ª... pelo menos um selo! :))

Boa semana!
Beijinhos