quinta-feira, 3 de abril de 2008


Tenho a sensação que algo comigo está mal e enquanto descubro quem ou o que está mal, sento-me e tento perceber onde é que errei.
Nunca a minha vida foi tão afectada devido aos traços, mais ou menos profundos, da minha personalidade, segundo consta.
No trabalho, parece que a minha competência no que toca a espírito de equipa e coordenação foi classificada de suficiente, apesar do excelente desempenho da minha coordenação e da minha equipa de trabalho, que superou todos os objectivos com um bom (para não dizer muito bom, pois foi assim que foi classificado) desempenho.
Vou a ver porquê…
Porque eu tenho “uma personalidade muito forte, empreendedora, que imprime aos projectos uma dinâmica muito particular” mas “a minha impulsividade e dinamismo” leva-me a criar “atrito” com certas outras pessoas…
É que eu sou daquelas pessoas que anda sempre a inventar trabalho, e isso incomoda muita gente, eu sei, e isso cria "atrito".
Assim, como sou daquelas gajas que não diz que não a propostas de trabalho, desde que interessantes, que na grande maioria das vezes resultam em grandes dores de cabeça e noites mal dormidas, porque só me fazem propostas para coisas que ninguém lhe apetece pegar, ou com prazos complicados, meio intrincadas e que exigem total dedicação (penso que deve ser para eu lhe “imprimir” o meu “cunho pessoal” e para as levar até ao fim, ultrapassando a inércia e a alergia que certas pessoas têm ao trabalho, mas não têm aos louros), e isso também cria "atrito".
Mas também sou daquelas gajas que chama as coisas pelos nomes, que coloca as questões frontalmente em vez de andar a falar pelos cantos e às escondidas, e como muita gente não gosta ou não lhe convem ouvir, cria-se "atrito".
Não se pense que sou super boa e maravilhosa em tudo o que faço. Não sou. Tenho defeitos, também erro, também crio inércia e ganho alergia a certas coisas, podia ser muito melhor.
Porém, não sei o que quer isto dizer, mas sou forçada a tirar elações, porque algo terá de mudar. Ou a favor do sistema ou contra o sistema. É a fase em que estou, daí a cara feia.

Depois disto também já não adianta entrar pela minha vida pessoal, que aí… a minha vida dava uma verdadeira comédia trágica, se é que isso existe.
Sou é de facto tentada a pensar que na volta sou eu que me estou a transformar numa cabra e não sei (perdoem-me a expressão, que agora nem me reconheço, mas esta é a melhor forma de exprimir o que vai cá por dentro).

6 comentários:

Lover disse...

boa noite Menina Grafis, boa música!;) dá para flutuar...e respirar...
como eu entendo bem o que dizes...mas sabes, não mudes, deixa antes que os outros te pensam "suficiente", só porque não têm capacidade de aceitar que és Boa (no que fazes)...agora se deixares de ser quem és...aí é que vamos ter muitas caras feias por aqui ;) e vais ter ainda mais atritos, e pior é que vão ser contigo;) bom fim-de-semana!
eh pah gostei mesmo da música, vou ter de deixar a tua página aberta ;)
Beijinhos

GRAFIS disse...

é boa é! a musica... :D
bjs e bom fds :)

serotonina disse...

A avaliação, mesmo com os parâmetros e critérios bem definidos é sempre subjectiva. É extremamente difícil avaliar. Mas é muito fácil desvirtuar a mesma, sobretudo quando o avaliador toma-se a si como o exemplo padrão.
Por aquilo que leio, és uma pessoa com carisma e com imensa força de trabalho e sabes que isso nem sempre é bem visto pelas mentes e forças de trabalho medianas. As pessoas não gostam de ter "formigas" à sua volta a trabalhar e fazer tudo o que aparece pela frente.
Nos tempos que correm, as pessoas empreendedoras é que vão ter sucesso e as pessoas que não o conseguem ser tentam de todas as formas impedir as novas ideias e força.

Agora realmente não entendo: "No trabalho, parece que a minha competência no que toca a espírito de equipa e coordenação foi classificada de suficiente, apesar do excelente desempenho da minha coordenação e da minha equipa de trabalho, que superou todos os objectivos com um bom (para não dizer muito bom, pois foi assim que foi classificado) desempenho". Como é que a equipa funciona muito bem se é suficientemente coordenada? os meus alunos não podem ter bons resultados se eu for uma professora sofrível.
Talvez aí te tenham querido dizer que realmente és muito boa, mas atenção, não tens que ser assim tão boa pois isso de ser muito bom não só é para alguns.

Nunca, mas nunca deves desistir de ser uma pessoa empenhada e frontal.
beijos

RV disse...

nunca desistas daquilo em te te tornas e naquilo em q acreditas, trabalha-se mal em Portugal há mts maus hábitos de trabalho e qd chega alguém com garra fácilmente se torna um alvo a abater, é fruto da mentalidadezinha do tuga q gosta mais de fazer parte da mobília do q própriamente evoluir e ter a humildade de aprender qd não sabe.
A confiança em nós e a vontade no futuro faz-nos ser diferentes e olha q mesmo não parecendo há sempre alguém q sabe q existimos e q conta com isso ainda q não demonstre,

coragem, bjs

RV disse...

e ainda te digo mais, á conta dos outros é q a minha geração de funcionário está a pagar um preço mt alto q não pediu e ainda por cima é uma geração diferente, bem diferente aliás

GRAFIS disse...

os motivos que estão por trás desta classificação são bem mais pecaminosos. a nota um aviso: ou te calas ou estás tramada.
É que aqui não é suposto alertar para o que está mal, reclamar de forma a que não seja possível vir a dizer que não houve reclamação, não é suposto querer mudar o sistema, alertar para a incompetência que reina por aqui, para as ilegalidades. Muito complexo.
É que, quem põe os dedos nas feridas são "personas non gratas", e é assim que pensam que nos vão dobrar. Só isso.
Mudar? Mesmo que queira, acho que não sou capaz. É preciso muito para me dobrar, mesmo tendo dois ou três pontos fracos, o que tb não quer dizer que seja impossivel, mas não me paece, pelo menos por agora.
bjs