sábado, 24 de maio de 2008

Autor desconhecido

Às vezes seria melhor se nos confrontássemos, se nos batêssemos, sentir nas costelas e no rosto as pancadas dos punhos serrados, o sabor do sangue na boca, o ácido da saliva nas feridas, dor nos dias seguintes.
Ao invés disso a dormência, os silêncios, os espaços vazios, a ausência de gravidade.
Andamos à procura de algo com que encher os dias, com que completar os espaços vazios, com que sentir alguma coisa. Qualquer coisa.

Depois de tanto tempo sem fumar precisava agora de um cigarro bem forte, para sentir o fumo a macerar os pulmões e a inundar o sangue de prazer.

4 comentários:

Anônimo disse...

Ritz serve?
Daqui já vão sete. aH!! as insómnias é um mal terrível.
Um beijo

GRAFIS disse...

teria servido
obrigada
presentemente sete acabariam por acabar comigo (pelo menos de manhã)
as insónias estão a dar cabo de mim.

RV disse...

os vazios e a ausência de côr... m td passa...~já vai passar tá?

bjs

GRAFIS disse...

a vontade de fumar?
já passou ;)